Lembranças de outros tempos

Olá a todas

Por esses dias lembrei de uma coleção de livos que pertencia a minha mãe e que eu folheava (diga-se brincava) muito quando era pequena. Trata-se da Grande Enciclopédia do Lar, da Mulher e da Arte Culinária, de 1982. Era composta de três livros e trazia assuntos referentes ao lar e à dona de casa. Os da minha mãe desapareceram (será que eu contribui para isso?!? rsrs), então para matar as saudades pedi emprestado os da minha tia. 

Ontem à noite, lendo alguns trechos, me deparei com este parágrafo, que trata do modo como a mulher deve se comportar ou agir para manter seu casamento feliz:




Eu e marido rimos muito analisando a discrepância entre aqueles costumes e os dos dias de hoje. Que fique claro que não zombo (eu como historiadora avalio o outro não com estranheza, mas com compreensão), mas que provoca divertimento isso provoca rsrs.

Acho que hoje, depois da mulher conquistar seu espaço na sociedade masculina, algumas delas daria tudo para voltar àquele tempo (porque aguentar 3ª e 4ª jornadas é dose)

E aí, o que acharam?

Beijos e boa semana.

Comentários

  1. Elaine, mais uma blogueira no desafio. Passa lá no blog da Paty

    http://donnamelia.blogspot.com/

    e atualizei o meu com os links das blogueiras participantes.

    bjs

    ResponderExcluir
  2. Eu acho que essa 3ª e 4ª jornada não são nada tentadoras... rsrsrs... Vida de casada é dificil e tem horas que, como uma vez vc pontuol, o marido vira filho... enfim... vida a dois é para quem tem coragem!!!

    Parabéns por conseguir!!!!

    ResponderExcluir
  3. Elaine,

    Confesso que a leitura não me pareceu tão sem sentido, depois de um tempo de casados, percebemos que algumas concessões são necessárias, desde que para os dois.
    Beijos

    ResponderExcluir
  4. OI, Elaine

    POis é, amiga, os tempos mudaram, mas muitas coisas mudaram também e pra pior, né? HOje vejo os casamentos muito confusos, onde os papéis se confundem, mas claro que muitas coisas são absurdas neste texto, mas as concessões devem exitir para que o casamento seja harmonioso , mas de ambas as partes e voluntariamente, claro!
    O amor não é egopista, não e´ mesmo?
    Beijocas e uma ótima semana!
    Helena
    http://diaadiacorridinho.blogspot.com

    ResponderExcluir
  5. Eu me senti como naquele desenho dos Flintstones.Sabe a empregada que ficava ,sim senhor,não senhor,quer seu café agora senhor?rsrsrs. Acho que teria surtado.Mas deve ter funcionado com muitas mulheres daquela época.Ainda bem que aquela época já passou né?bjocas tenha um ótimo dia...

    ResponderExcluir
  6. Oi Elaine
    Pucha que mudança! e não faz assim tanto tempo né?, menos de 30 anos...em 1982 foi quando me casei..., realmente as coisas eram beeeem diferentes !
    beijin
    Tina (Sonhar e Realizar)

    ResponderExcluir
  7. Oi Amigaaaa!

    Mas ri demais com essa enciclopédia....kkkkk

    como os tempos mudaram né? Ainda bem, pois já pensou ficar engo,ando roupa de maridinho? Afff...ninguém merece...

    Mas minha mãe me conta cada coisa daquela época... O sofrimento, a falação dos vizinhos, a falta que a pilula fazia (ela pariu seis filhos)... Mulheres eram educadas para serrem serviçais, apenas isso.

    Boa lembrança, para que isso não volte mais - mesmo com a religião muçulmana se alastrando pelo mundo afora a pregar a volta dessa servidão. Cruz credo! Vade retro!

    Então vc acha que devo manter o nome do pequeno? Ahhhh, sei não...rs

    Beijooo

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Podem entrar! A casa é humilde mas feita com muito amor!

Postagens mais visitadas deste blog

Filofax Saffiano Personal Compact

GTD

Meu novo eterno amor!